capa-post2-2

A difícil arte de começar.

Começar pode ser difícil e, mais difícil ainda, quando olhamos para algo que trará alguma mudança. Talvez seja por isso que seja tão difícil começar algo.

O começo é a metade do todo”  – Platão

Aproveitando que já se passaram quase   dias de quando dedicamos tempo para fazer planos e promessas para o ano que começa, eu te pergunto:  O QUE VOCÊ JÁ (RE) COMEÇOU?  

Para você que já conseguiu (re) começar a dieta, as aulas de inglês ou de yoga, meus parabéns! 

Para você que ainda não conseguiu (re) começar, arrisco algumas respostas: 

  • “Você não sabe como está minha vida. Sem tempo para nada“; 
  • “Xi, voltei das férias de final de ano… Parecia que estava 100 dias fora de tanta coisa que acumulou para fazer”;
  • “Ai amiga, tanta coisa acontecendo. Não consegui parar nem para pensar nisso, acredita? “;
  • “Todas as vezes que ia ligar para a academia, ou pro professor de inglês, ou pedir informações sobre curso, algo acontecia que me tirava a atenção “.

Geralmente, inconformados com a própria falta de atitude, acionamos o botão de emergência: buscas na internet, perguntar para aquele amigo que consegue tudo o que quer ou, até mesmo, procurar nos próprios arquivos. Afinal, isso pode ser recorrente na sua vida e naquele momento de total pressão,  buscamos sempre por receitas prontas de ‘como vencer a procrastinação’, ‘como recuperar a motivação’ ou ‘como se planejar melhor’.

Começar pode ser difícil e, mais difícil ainda, é quando olhamos para algo que trará alguma mudança. Talvez seja por isso que seja tão difícil começar algo. 

Veja abaixo 4 fatores que podem estar impedindo de você (re) começar algo.

Inércia: “Só vou fazer quando tiver vontade!”

Não espere ter a vontade, alguém ou fatores externos para começar algo. 

Simplesmente, aja! Comece! 

A Primeira Lei de Newton ou Lei da Inércia já comprova que todo corpo permanece parado ou em movimento retilíneo uniforme, a menos que uma força seja aplicada a ele.” 

Só nos motivamos com algo que estamos fazendo.

Mas, se estiver sempre adiando o que precisa fazer, repense por qual motivo deve fazer aquilo.  Pode ser que um simples ajuste de rotina e prioridade seja suficiente. 

Aqui a dica é: Entre em ação!

Medo do fracasso: “E se não der certo?“

Para algumas pessoas, o medo do fracasso é tão grande que a melhor escolha é não agir, não se arriscar. O medo de fracassar muitas vezes nos bloqueia. 

Não sentimos medo de falhar por qualquer coisa, sentimos medo de falhar por algo que criamos expectativas, que desejamos muito, seja por necessidade própria ou de outro. 

Sentimos medo de falhar pois acreditamos que temos que ser perfeitos. Ficamos então com a vida que já conhecemos, no relacionamento que já sabemos como funciona ou naquele trabalho que fazemos a anos.  

Aqui a dica é: Falhe mais! Quanto mais rápido você errar mais rápido você vai acertar.

Insegurança: “Será que tenho capacidade?” 

É difícil não se sentir inseguro frente ao desconhecido. E, quando estamos numa situação onde precisamos sair da nossa zona de conforto e entrar num futuro incerto, a nossa mente começa a criar inúmeros cenários ‘bons e ruins’ que poderão ou não acontecer na realidade. 

Todo esse processo pode trazer reações positivas e negativas, gerando um medo ao que está sendo criado na mente, principalmente quando são grandes mudanças na vida. 

A prática e a experiência nos fazem sentir mais confiantes quando vamos começar algo novo.

Aqui a dica é: Descubra-se! Prepare-se! Desenvolva-se! Não se muda o que não conhecemos. Autoconhecimento é tudo

Medo do sucesso: “E se der certo?”

Estranho isso, não?! É mais comum do que imaginamos. 

Com o sucesso vem a responsabilidade, a pressão, mais coisas para aprender, desafios para se manter no sucesso e, para algumas pessoas, é sinônimo de solidão e rejeição. Por isso o fracasso se torna mais cômodo. 

Aqui a dica é: Identifique qual o motivo do seu medo e neutralize-o! 

Vivemos numa sociedade ‘Just Do It!’, onde a incapacidade de começar é muitas vezes vista como fracasso, preguiça ou falta de vontade.  

O perigo é quando nos vemos impossibilitados de começar um projeto e assumimos toda a responsabilidade para depois nos culpar que há algo errado conosco. Então, desistimos ou inventamos desculpas para nos preservar e proteger nossa identidade. Paralisamos toda e qualquer atitude

Não caia nessa armadilha nem se isole pensando que isso só acontece com você! Se está planejando (link para o blog metas e objetivo) algo e parece não conseguir se mexer, investigue o que o está impedindo e tente gerar alternativas viáveis para dar o primeiro passo. Fale, converse, crie um ambiente seguro e confiável com pessoas que realmente possam te apoiar.

Você tem ou já teve algum bloqueio desses? Compartilha com a gente 🙂

Deixe os seus comentários

Adriana Berton

Adriana Berton

Você também pode gostar de ler...

Adriana Berton

Adriana Berton

Você também pode gostar de ler...